13/06/2009

Sexto sentido mil

Encontrei esse poema embaixo da minha porta em 1982, escrito a lápis em uma folha de caderno brochura. Nunca soube quem o deixou.


A perna é minha,
Então eu vou até você
E com você danço.
O nariz é meu,
Então eu cheiro você
E com você eu respiro.
O olho é meu,
Então eu olho você
E com você vislumbro.
O ouvido é meu,
Então eu escuto você
E com você ouço.
A boca é minha,
Então eu como você
E com você alimento.
O corpo é meu,
Então eu dou a você
E com você multiplico.
Todo sentir da minha vida é meu,
Então encontro você e com você
Faço para ela um sentido.

2 comentários:

  1. Simplismente me encantei por tudo o que vi e tudo o que li aqui nesse blog. Parabéns e gostaria muito que vcs pudessem passar pelo pelo blog também. Assim juntos divulgaremos os nossos blogs.
    http://dryvero39.blogspot.com/
    Beijos a todos.

    ResponderExcluir
  2. Anônimo4/21/2011

    esse poema nao tem nada a ver com amor ele e xato d +

    ResponderExcluir